Entende-se por impermeabilizar, tornar um material, área ou objecto impermeável, isto é, fazer com que a água ou outro fluido não consiga atravessar ou penetrar. A água é a grande responsável por um elevado número de problemas nas edificações.

Tanto as estruturas como os ocupantes dos imóveis podem ser vítimas de um ambiente húmido e de uma infiltração. Estes acontecimentos provocam um ambiente húmido e insalubre, que cheira a mofo, e propicia o desenvolvimento de fungos e bactérias, condições que ameaçam directamente a saúde dos seus habitantes. Isto sem referir a possibilidade de inundações que se traduzem geralmente em grandes prejuízos e desconforto.

Para a edificação, as consequências mais visíveis da infiltração são a desagregação dos revestimentos, eflorescências nos revestimentos, deterioração e empolamento de pinturas, com o comprometimento da estrutura a longo prazo.

SABIA QUE…

Na impermeabilização, assim como nas demais áreas, não existe um produto ou sistema de utilização universal, não obstante os fabricantes movidos pelo legítimo interesse comercial procurem afirmar o seu produto para usos indiferenciados. Não observar a adequação das técnicas de intervenção baseadas em produtos indiferenciados (argamassas cimentosas, borrachas liquidas, membranas aquosas, telas asfálticas, poliéster ou PVC), podem conduzir a um desempenho não satisfatório deixando de atender aos critérios de aderência, tráfego ou estanqueidade, levando a que os problemas não fiquem solucionados.

A utilização de sistemas impermeabilizantes adequados garante a salubridade dos ambientes e melhora a qualidade de vida dos seus utilizadores.